O caminho que o botijão de gás de cozinha percorre das revendas até a casa do consumidor precisa ser cuidadosamente planejado e obedecer a algumas normas essenciais de segurança e controle. Atenção revendedor: veja como proceder corretamente ao transporte seguro do botijão.

Documentação do motorista

 

Para o motorista que dirige os caminhões que transportam gás envasado e a granel, as necessidades são a CNH categoria D ou E (para veículo articulado, acima de 6000PBT) ou C (caminhão, superior a 3500 PBT), atualizada, e Curso para Condutores de Veículos de Transporte de Produtos Perigosos (MOPP). É obrigatória a declaração de exercício de atividade remunerada para o transporte de produtos perigosos.

 

O motorista também precisa de um documento, chamado Atestado de Saúde Ocupacional, emitido pelo Médico do Trabalho após a realização de exames médicos admissionais, periódicos, mudança de função, retorno ao trabalho, definindo se o colaborador está apto ou

inapto ao trabalho.

 Documentação do produto

 

O produto, ou seja, o gás de cozinha, também precisa de documentos para que seja transportado. É necessária uma Ficha de Emergência, falando sobre o aspecto, os riscos, o que fazer em caso de acidente, e telefones de emergência. Há também o Envelope de Embarque, que abriga a Ficha de Emergência e contém mais alguns dados importantes, como pontos de apoio e equipamentos necessários em caso de incidentes.

 

A nota fiscal da carga também é indispensável, e precisa conter a declaração do expedidor/revenda.

Documentação do veículo

 

Para o veículo, são necessários: Certificado e Registro de Licenciamento de Veículo dentro da data de validade, CIPP/CIV (SOMENTE GRANEL), CCPPR – IPEM (somente no Estado de São Paulo), Certificado de Regularidade do IBAMA (CFA), Autorização Ambiental para Transporte Interestadual de Produto Perigoso, Licença Estadual para Transporte de Produtos Perigosos.

Condições gerais do veículo de transporte de GLP

O veículo também deve obedecer a alguns quesitos específicos sobre sua condição, garantindo um transporte seguro. Quando aplicável, o caminhão deve ter o Registro Nacional de Transportadores de Carga (RNTRC), com o número de inscrição nas laterais externas da cabine de cada veículo automotor e de cada reboque ou semi-reboque, em ambos os lados, e em locais visíveis.

A identificação do veículo de transporte deve trazer o número de risco do produto transportado e o rótulo de risco indicando que é um gás inflamável.

O caminhão deve trazer também alguns itens indispensáveis de segurança, como:

. 4 cones de sinalização, (NBR 15071)

  • 4 placa de advertência “Perigo Afaste-se,
  • 100m fita de isolamento,
  • 6 tripé/cone ou hastes para sustentação da fita;
  • 1 lanterna comum (Envasado)
  • 1 lanterna à prova de explosão (Granel)
  • Extintor de incêndio
  • 2 calços
  • tacógrafo
  • Jogo de ferramentas (alicate universal, chave apropriada para desconexão do cabo de bateria, chave de fenda ou Philips
  • Macaco, chave de rodas, triângulo

 

- Luvas de vaqueta;

  • Calçado de segurança;
  • Óculos de segurança (somente granel)
  • Uniforme com manga comprida (somente granel);
  • Capacete;
  • Protetor Auricular, sempre que necessário em área ruidosa.

 

Os extintores de incêndio devem obedecer às seguintes orientações e critérios:

- Cabine do caminhão: Pó ABC – 2A - 20BC (a partir de janeiro de 2015);

- Carga do produto: Pó químico seco de 8kg, tipo 4A: 30BC ou 30BC para

GRANEL (quantidade de 2) e envasado (quantidade de 1).